Biblioteca

biblioteca-do-trinity-college-c3b3tima

Caríssimos seguidores, iremos apresentar, a cada mês, ao menos um livro como sugestão de leitura. Os seguidores do blog estão convidados a também enviar suas sugestões através do e-mail opontodentrodocirculo@gmail.com. Teremos enorme prazer em compartilhar sua indicação com todos que nos seguem.

Fraternalmente,

Luiz Marcelo Viegas

AGOSTO/ 2017

Título: Sutilezas da Arte Real
Autor: Raimundo Rodrigues

Sutilezas da Arte Real

Sinopse:

A Maçonaria e a Filosofia sempre caminharam juntas. Porém, é preciso um certo conhecimento da filosofia socrática para que alguém possa compreender melhor o significado da origem e da função dos conceitos. O autor Raimundo Rodrigues é um dos mais autênticos Autores Maçônicos. Assim como outros Filósofos Maçons, antes de começar a escrever artigos sobre a Ordem Real, ele adquiriu e transmitiu conhecimentos gerais, que o transformaram em uma chama viva de conhecimentos e habilidades, que ora nos são apresentados neste livro.

Título: Vício dos Vícios
Autor: Flávio Gikovate

Acesse o livro clicando AQUI

Sinopse:

O livro defende que a serenidade e a boa qualidade de vida só serão possíveis para aqueles que não se deixaram escravizar pela vaidade. A vaidade é definida por Gikovate como o prazer de se exibir.

JULHO/ 2017

Título: Maçonaria Concreta
Autor: Frederico Guilherme Costa

Resultado de imagem para livro maçonaria concreta

Sinopse:

Nesta obra o autor trata de diversos temas, tais como: Maçonaria, Maçom, Martinismo, os Diálogos de Lessing, a Maçonaria Simbólica, a Origem da Câmara de Reflexões, as Origens do Rito Francês Moderno, a Bíblia na Maçonaria Francesa, o mito do Herói na Maçonaria Simbólica, a maçonaria Livre e Soberana, o Espírito Libertário da Maçonaria, o Movimento Libertário na America Latina, o Terceiro Reinado, a Igreja e a Maçonaria. 

Leitura obrigatória para todo maçom, independente do rito que pratica.

JUNHO/ 2017

Título: O Simbolismo dos Números na Maçonaria
Autor: Boanerges B. Castro

Resultado de imagem para o simbolismo dos numeros na maçonaria

Acesse o livro clicando AQUI

Sinopse:

Este livro do Irmão Boanerges Barbosa de Castro, nos presta informações fantásticas sobre os números e seu simbolismo na Maçonaria, abrindo caminhos para pesquisas sempre mais avançadas. Descartes uniu filosofia e matemática e realçou estes símbolos, dando-lhes o valor real. O Irmão Boanerges, com seu conhecimento maçônico alçou-os ao patamar merecido.

MARÇO/ 2017

Os dois livros a seguir são sugestões de leitura enviadas pelo estimado irmão Robert Betito, membro da ARLS Philantropia do Sul, Oriente de Rio Grande – RS, a quem, mais uma vez, muito agradecemos pela colaboração.

Título: O Despertar dos Mágicos
Autor: Louis Pauwels e Jacques Bergier

Resultado de imagem para o despertar dos mágicos

Acesse o livro clicando AQUI

Sinopse:

Um clássico incontornável do gênero, nasceu da partilha de ideias dos seus autores acerca dos mistérios da vida. Sucesso de vendas imediato, foi traduzido para inúmeras línguas e tornou-se um obra extremamente popular, que influenciou muitas outras posteriores. Pauwels e Bergier discutem o oculto, nas suas inúmeras manifestações, e o lugar do ser humano no universo.

Título: O Despertar dos Mágicos
Autor: Louis Pauwels e Jacques Bergier

Resultado de imagem para A desobediência civil Henry David Thoreau

Acesse o livro clicando AQUI

Sinopse:

O alvo principal das análises de Thoreau era a formação da nação americana- calcado no sistema escravista e afeito às guerras, o país ia, aos poucos, aprofundando as bases políticas e sociais que, para Thoreau, eram contrárias justamente ao baluarte mais defendido- a liberdade individual. Opondo-se ao senso comum, que considera a obediência às leis e às normas sociais como súmula da moral, Thoreau defendia que o dever para com a própria consciência está acima do dever de um cidadão para com o Estado. Formada por cinco textos, a edição traz, em sua abertura, aquele que dá nome ao livro, ‘A desobediência civil’, de 1849, responsável por inserir o pensamento político de Thoreau na história mundial. O segundo ensaio, ‘Onde vivi, e para quê’, foi extraído de seu livro ‘Walden’, em que retrata os anos em retiro numa floresta. Em ‘A escravidão em Massachusetts’, Thoreau discursa contra a prisão do escravo fugitivo Anthony Burns. O quarto ensaio, ‘Caminhar’, tem origem numa palestra em que o filósofo se mostra em comunhão com a natureza e consigo mesmo ao passear sem objetivo por bosques e florestas. Por fim, a ‘Vida sem princípios’ é um apelo a outro modo de viver, distante da dedicação excessiva ao trabalho.

Título: As Origens da Maçonaria – O Século da Escócia (1590 – 1710)
Autor: David Stevenson

download (1)

Sinopse:

No livro, o autor desvenda um pouco mais o mistério que rodeia a Ordem há séculos e vai até a Escócia, onde tenta localizar as influências que formaram a Maçonaria inicial e analisar as evidências de seu surgimento e sua posterior difusão para a Inglaterra. O autor discorre sobre a Maçonaria baseado em estudos contemporâneos, separando pesquisas sérias de mitos a respeito da história maçônica, que criam uma falsa imagem da Ordem. ‘As Origens da Maçonaria’ é mais que uma obra dirigida a maçons e não-maçons que queiram conhecer um pouco mais sobre essa Ordem tão antiga quanto a História.

DEZEMBRO/ 2016

Os três livros a seguir são sugestões de leitura enviadas pelo estimado irmão Robert Betito, membro da ARLS Philantropia do Sul, Oriente de Rio Grande – RS, a quem muito agradecemos pela colaboração.

Título: A História de B
Autor: Daniel Quinn

Resultado de imagem para a história de b daniel quinn

Acesse o livro clicando AQUI

Sinopse:

“As pessoas estão lhe dando ouvidos, Jared. É isso que o torna perigoso”.

Assim começa a missão do padre Jared Osborne na Europa, onde deve encontrar um pregador peripatético cuja mensagem radical está atraindo um número crescente de seguidores.

O padre Osborne tem a obrigação moral de cumprir uma missão secreta de sua ordem religiosa: saber antes de todos os outros se o Anticristo está entre nós — e tentar destruí-lo e eliminá-lo. A cada cinquenta anos mais ou menos, um novo candidato aparece e é investigado.

O alvo da investigação de Osborne é um norte-americano conhecido por seus seguidores somente por B. Ele não está ensinando meditação, nem culto à deusa, cura pela fé ou espiritualidade da Nova Era. Não está a fim de ganhar dinheiro, nem de constituir um grupo de seguidores fanáticos. Em vez disso, está revelando discretamente a história oculta do nosso planeta, redefinindo a decadência do homem e redesenhando o caminho da espiritualidade humana.

Osborne segue a pista fugidia de B, desde Salzburgo até um cabaré existencialista em Munique, e depois a um retiro iluminado a velas no porão de um teatro decadente, onde se encontra pela primeira vez com o misterioso B e com Shirin, sua fascinante colega. Desde o começo, Osborne fica chocado, enfurecido e espantado com a originalidade e o poder dos ensinamentos de B. Será que B não passa de um herege — ou será o Anticristo enviado para seduzir a humanidade, não com o mal, mas com ideias mais atraentes que as da religião tradicional? Pressionado por seus superiores a dar sua opinião, Osborne é levado a penetrar no círculo mais íntimo de B. Ali, como discípulo eleito, ele logo se surpreende como um colaborador angustiado no desmantelamento de suas próprias convicções religiosas.

A História de B combina as ideias provocantes e visionárias de Daniel Quinn com uma história magistral de aventura e suspense que vai prender sua atenção até a última página. Uma seção especial reúne os controvertidos ensinamentos públicos de B, uma leitura fascinante para toda pessoa interessada no futuro do nosso mundo — e na sobrevivência da humanidade.

Título: Ismael
Autor: Daniel Quinn

Resultado de imagem para ismael daniel quinn

Acesse o livro clicando AQUI

Sinopse, por Ubiratan D’Ambrosio:

O que sabemos da humanidade e de seu comportamento? A história oficial, vista por olhos humanos, é um desfilar de nossas grandes conquistas e, ao mesmo tempo, contraditoriamente, a angústia de reconhecer a ameaça de uma iminente extinção da espécie.

Todos compartilhamos dessa angústia e procuramos meios de interferir para que esse futuro sombrio não se concretize. Todos temos um desejo sincero de salvar o mundo! E gostaríamos de encontrar um professor disposto a nos acolher como discípulos para nos ensinar a satisfazer esse desejo.

O narrador desta belíssima fábula teve essa oportunidade. Respondendo a um anúncio de jornal, foi ao encontro do professor que procurava alunos com o desejo sincero de salvar o mundo. Esse professor, para espanto do narrador e dos leitores, é um gorila. Uma criatura de imensa sabedoria que, por várias circunstâncias, aprendeu a se comunicar com os humanos pelo olhar e que, no curso de sua vida, leu e discutiu as principais obras da história da humanidade, analisou o comportamento de nossa espécie, tirou suas conclusões sobre a condição humana e pôs-se a transmitir aos homens a sua visão da humanidade.

Um cartaz pendurado na sala do professor, com a pergunta: “Com o fim da humanidade, haverá esperança para o gorila?”, estimulou nosso narrador a se matricular no curso. Ismael nos dá uma versão ampla, provocativa e inquietante da história da humanidade. Como chegamos a um tal estado de angústia existencial? A ameaça de extinção da espécie humana é real. A degradação ambiental e moral é testemunhada no nosso cotidiano. Haverá saída? O que pode cada um de nós fazer?

Numa narrativa erudita, sem perder a simplicidade, o mestre Ismael nos conduz ao reverso da pergunta acima: Com o fim do gorila, haverá esperança para a humanidade?

Daniel Quinn escreveu este livro e tentou, sem sucesso, publicá-lo. Talvez por ser demasiadamente incisivo. Um dia leu no jornal, como o seu narrador, o anúncio, de um concurso chamado Turner Tomorrow Fellowship, aberto a obras de ficção que apresentassem soluções para os problemas mundiais. Ganhou o concurso e Ismael tornou-se um best seller.

Esta é uma leitura necessária e urgente para todos aqueles, jovens e adultos, que têm um desejo sincero de salvar o mundo.

Título: Além da Civilização
Autor: Daniel Quinn

Resultado de imagem para além da civilização

Acesse o livro clicando AQUI

Sinopse:

Uma das crenças mais fundamentais da nossa cultura é a de que a civilização deve continuar a qualquer custo, sejam quais forem as circunstâncias. Implícita nessa crença está outra: a de que a civilização é a mais importante invenção humana e jamais deve ser abandonada.

Daniel Quinn, conhecido por seu transformador romance Ismael, adotado em escolas e universidades de mais de vinte países, questiona em Além da Civilização a forma como o homem se posiciona em relação ao restante da comunidade da vida, orientando-nos a viver como membros dessa comunidade, e não como senhores dela.

Em uma prosa densa, mas leve e agradável, ele nos apresenta uma série de pequenos ensaios de uma página, com idéias e reflexões que nos fazem vislumbrar uma nova alternativa para salvar o mundo, que envolve a 4 desconstrução da civilização e a revisão de antigos paradigmas de nossa sociedade.

Por que a civilização planta o alimento para trancá-lo e depois obriga os indivíduos a ganhar dinheiro para comprá-lo de volta? Por que não progredimos além da civilização e abandonamos o estilo hierárquico de vida que causa grande parte de nossos problemas sociais?

Usando metáforas criativas e bastante eficazes, Quinn desfila para nós suas ideias sobre os problemas da sociedade humana e aponta caminhos rumo a um novo território, “além da civilização”. Esse território não é um espaço geográfico, mas um inexplorado espaço cultural, social e econômico situado “do outro lado” da organização hierárquica da civilização.

A jornada que conduz a esse território não representa um modo de demolir a hierarquia da civilização, mas, antes, apresenta uma maneira de deixá-la para trás. É a “rota de escape” para um futuro no qual as pessoas comuns podem reivindicar sua dignidade, alegria, igualdade e autoconfiança. Essa rota está, é claro, escondida; de outro modo, teria sido descoberta anteriormente. Mas, como Quinn demonstra, está escondida onde se encontram todos os grandes segredos: bem à vista de todos.

Título: A República
Autor: Platão

Imagem relacionada

Sinopse:

Entre seus diálogos A República é um dos livros fulcrais, no qual Platão nos leva a refletir acerca dos princípios éticos, políticos, estéticos e jurídicos que norteiam uma sociedade. Subdividida em dez livros, a obra é uma aspiração a um Estado ideal que se sustenta no conceito de justiça. Mas o que é a justiça? Como ela se constrói em meio a tanta corrupção? Essas e outras questões tão atuais são propostas pelo filósofo na Antiguidade e até hoje mobilizam o pensamento humano.

Título: Finis Gloriae Mundi – A Transformação Alquímica do Mundo
Autor: Fulcanelli

Resultado de imagem para finis gloriae mundi fulcanelli

Sinopse:

Em 1999, Jacques d’Arès trouxe à luz um manuscrito assinado por Fulcanelli, com o título de Finis Gloriae Mundi, que causou verdadeiro furor entre os alquimistas franceses. O texto, ora apresentado pela primeira vez em língua portuguesa, é de uma erudição admirável e desvenda alguns dos segredos até hoje muito bem guardados, proporcionando além disso conselhos preciosos para os alquimistas e estudiosos do pensamento esotérico ocidental em atividade neste novo milênio. Ampliando de forma surpreendente a compreensão de suas obras anteriores, neste livro Fulcanelli revela os segredos da Grande Arte para entender a Grande Obra: a “Chave” final sobre a transformação alquímica e o “fim do mundo” como o conhecemos.

NOVEMBRO / 2016

Título: Estudos Maçônicos Sobre Simbolismo
Autor: Nicola Aslan

Resultado de imagem para sobre simbolismo nicola aslan

Sinopse, por Osmane Vieira de Resende:

Em Estudos Maçônicos Sobre Simbolismo, busca o autor dar maior difusão à ciência do simbolismo, tão fundamental em Maçonaria, por ser a infra-estrutura pedagógica sobre a qual se alicerça a Iniciação maçônica, e, consequentemente, a Filosofia e as Doutrinas que dela decorrem. O seu estudo é, pois, fundamental e o seu conhecimento imperativo. A ciência do simbolismo é de fato a janela aberta através da qual o Iniciado pode vislumbrar os tesouros do ensinamento maçônico e o esoterismo de suas doutrinas iniciáticas.

Nesse livro, fruto de pacientes e prolongadas pesquisas, Nicola Aslan analisa o Simbolismo em quase todas as suas implicações, mostrando a diversidade das origens dos símbolos, que muitas vezes se perdem na pré-história, a opulência dos elementos históricos, religiosos e filosóficos que cada símbolo encerra, a variedade de significados de cada um deles e a riqueza de suas possíveis interpretações.

O livro não tem pretensões literárias; é um incentivo ao estudo da história, da filosofia, da liturgia e do simbolismo da Instituição Maçônica.

Título: Transição
Autor: Charles Evaldo Boller

Resultado de imagem para transição charles evaldo Boller

Sinopse:

Os textos desta compilação são todos de minha lavra e resultados da busca pessoal permanente das atividades que levam o maçom dotado de crenças, religião, ideologias, misticismo, a encontrar o caminho para dentro de si mesmo. Procura-se entender como o método Arte Real Maçônica desperta no adepto a capacidade de andar com as próprias pernas naquilo que as sociedades humanas sempre interpuseram intermediários: a sua religação com o Grande Arquiteto do Universo.

Acesse o livro clicando AQUI

OUTUBRO / 2016

Título: A Arte Cavalheiresca do Arqueiro Zen*
Autor: Eugen Herrigel

*Sugestão enviada pelo nosso querido irmão Fábio Carvalho

Resultado de imagem para A Arte Cavalheiresca do Arqueiro Zen

Análise sobre o livro:

O livro “A arte cavalheiresca do arqueiro zen”, do filósofo alemão Eugen Herrigel(1884-1955), tem o mérito de ser um dos principais responsáveis por introduzir e popularizar o pensamento zen budista no ocidente. Grande parte desse mérito se deve ao fato do livro ser curtíssimo (a edição da editora Pensamento tem 91 páginas) e escrito numa linguagem simples, que traduz os pensamentos do zen para leitores comuns.

Herriegl passou alguns anos(1924-1929) no Japão, ensinando filosofia na Tohoku Imperial University. Interessado no pensamento oriental, ele começou a estudar o kyudo (arte do arco e flecha) com o mestre Kenzô Awa (1880-1939), enquanto sua mulher estudava a arte dos arranjos florais.

Posteriormente, Herrigel relacionaria a arte do arqueirismo com o pensamento zen, produzindo uma série de estudos que dariam origem ao livro. A forma de relacionar um trabalho manual com o desenvolvimento espiritual (“… a obra interior que ele deve realizar é muito mais importante que as obras exteriores”) dialoga diretamente com livros posteriores que se inspirariam na obra de Herriegel, como o clássico “Zen e a Arte da Manutenção de Motocicletas” de Robert M. Pirsig, no qual o autor ensina que a escalada da montanha é muito mais importante que chegar ao cume.

Muita viagem? Um trecho que resume bem a ideia do livro é essa fala do mestre Kenzo sobre o arqueirismo: “(…) não se deve envergonhar pelos tiros errados. Da mesma maneira, não deve felicitar-se pelos que se realizam plenamente. O senhor precisa libertar-se desse flutuar entre o prazer e o desprazer. Precisa aprender a sobrepor-se a ele com uma descontraída imparcialidade, alegrando-se como se outra pessoa tivesse feito aqueles disparos. Isso também tem que ser praticado incansavelmente, pois o senhor não imagina a importância que tem.”

Atingir o equilíbrio, evitar a busca pelo prazer ou tristeza pela falha, preocupar-se mais com o ato do que com suas conseqüências. Seguir os instintos. “Comer quando se tem vontade de comer e dormir quando se tem vontade de dormir”. O pensamento zen oriental, apresentado por Herrigel, pouco tem a ver com nossa forma pós-moderna e ocidental de viver. Mas é uma boa oportunidade de enxergar que toda regra é burra e que existem formas muito velhas de pensar, que parecem mais modernas que o hype que engolimos diariamente como a hóstia da nossa (não)religião descolada.

Por Fred di Giacomo 

Acesse o livro clicando AQUI

Título: A Ação Secreta da Maçonaria na Política Mundial
Autor: José Castellani

SINOPSE:

Este livro volta-se para a demonstração do possível papel da Maçonaria durante acontecimentos políticos e sociais da História do Mundo e do Brasil. Esta obra pretende desmistificar a ideia de ordem religiosa, através da demonstração da preocupação com os ideais de Liberdade, Igualdade e Fraternidade. Castellani procura demonstrar o desenvolvimento e a interligação entre fatos da Humanidade e o pensamento maçônico que levou a sua concretização. O autor analisa a atuação da Maçonaria nas Ações Políticas Europeias, do século XVII e ao século XX; nas Políticas Americanas, salientando a fundação e a formação dos estados independentes, como a libertação das Colônias Espanholas e a fundação dos Estados Unidos da América; e na Política Brasileira, demonstrando o início da Maçonaria Brasileira e analisando a atuação na formação do Estado Brasileiro. ‘A ação secreta da maçonaria na política mundial’ procura ser uma fonte de consulta sobre a história brasileira e mundial com a apresentação dos manifestos e documentos que podem ter contribuído para a formação do pensamento político.

JULHO / 2016

Título: A Paixão de Ísis e Osíris
Autor: Jean Houston

SINOPSE:

O livro recria um momento precioso de magia egípcia, permitindo o acesso a um estado de consciência que é o portão de entrada para o amor transcendente. A história das duas almas gêmeas ainda guarda ressonância para nós nos dias de hoje, quer procuremos unir as partes desiguais do próprio eu, quer busquemos um companheiro ou companheira para uma união entre duas almas. Uma história de amor do mundo da mitologia, numa obra que os próprios egípcios antigos reconheceriam como um livro sagrado.

1º SEMESTRE DE 2016

Título: Trilogia O Século
Autor: Ken Follett

Detalhes sobre o produtoDetalhes sobre o produtoDetalhes sobre o produto

SINOPSE:

Follett constrói sua trama entrelaçando as vidas de personagens fictícios e reais, como o rei Jorge V, o Kaiser Guilherme, o presidente Woodrow Wilson, o parlamentar Winston Churchill e os revolucionários Lênin e Trótski. O resultado é uma envolvente lição de história, contada da perspectiva das pessoas comuns, que lutaram nas trincheiras da Primeira Guerra Mundial, ajudaram a fazer a Revolução Russa e tornaram real o sonho do sufrágio feminino.

Ao descrever a saga de famílias de diferentes origens, o autor apresenta os fatos sob os mais diversos pontos de vista. Na Grã-Bretanha, o destino dos Williams, uma família de mineradores de Gales do Sul, acaba irremediavelmente ligado por amor e ódio ao dos aristocráticos Fitzherberts, proprietários da mina de carvão onde Billy Williams vai trabalhar aos 13 anos e donos da bela mansão em que sua irmã, Ethel, é governanta.

Na Rússia, dois irmãos órfãos, Grigori e Lev Peshkov, seguem rumos opostos em busca de um futuro melhor. Um deles vai atrás do sonho americano e o outro se junta à revolução bolchevique. A guerra interfere na vida de todos. O alemão Walter von Ulrich tem que se separar de seu amor, lady Maud, e ainda lutar contra o irmão dela, o conde Fitz. Nem mesmo o americano Gus Dewar, o assessor do presidente Wilson que sempre trabalhou pela paz, escapa dos horrores da frente de batalha.

Enquanto a ação se desloca entre Londres, São Petersburgo, Washington, Paris e Berlim, Queda de gigantes retrata um mundo em rápida transformação, que nunca mais será o mesmo. O século XX está apenas começando.

Título: Os Grandes Iniciados
Autor: Edouard Sshure

SINOPSE:

Religião e ciência. Estes são os temas centrais abordados em os Grandes Iniciados, em que essas duas forças aparecem como inimigas e irredutíveis. A religião responde às necessidades do coração, daí a magia eterna, a ciência às do espírito, da força invencível.

A religião sem prova e a ciência sem esperança estão de pé, uma em frente à outra, desafiando-se sem poder se vencer.

A ciência só se ocupa do mundo físico e material, a filosofia moral perdeu a direção das inteligências, a religião governa também em certa medida as massas, mas não reina sobre as mais altas camadas sociais, ainda grande pela caridade, não brilha mais pela fé.

Todas as grandes religiões têm uma história exterior e uma história interior, a primeira aparente, a outra escondida. Por história exterior, entende-se os dogmas e os mitos ensinados publicamente nos templos e nas escolas, reconhecidos no culto e nas superstições populares. Por história interior, entende-se a ciência profunda, a doutrina secreta, a ação oculta dos grandes iniciados, profetas ou reformadores que criaram, sustentaram e propagaram as mesmas religiões.

A ciência e a religião, essas guardiãs da civilização, perderam ambas o dom supremo, sua magia, a da grande e forte educação. Os templos da índia e do Egito produziram os maiores sábios da Terra. Os templos gregos modelaram heróis e poetas. Os apóstolos de cristo foram mártires sublimes e deram origem a milhares de outros. O igreja da idade média, apesar de sua teologia primária, fez santos e cavaleiros, pois tinha fé e, mesmo aos trambolhões, o espírito do cristo manifestava-se nela.

Hoje, nem a igreja aprisionada em seu dogma, nem a ciência trancada na matéria sabem fazer homens completos. A arte de criar e deformar almas se perdeu e só será reencontrada quando a ciência e a religião, refundidas em uma força viva, se aplicarem nisso juntas e de comum acordo para o bem e a salvação da humanidade.

Título: Maçonaria e Igreja Católica
Autor: Jose A. Ferrer Benimeli

SINOPSE:

O livro aborda as relações que levaram a promulgação da primeira bula papal condenando a Maçonaria. Leitura obrigatória para aqueles que desejam saber o que realmente estava por trás da decisão tomada pela Igreja Católica.

Título: O Simbolismo na Maçonaria
Autor: Colin Dyer

SINOPSE:

O Simbolismo é muito utilizado pela Franco-Maçonaria em suas Lojas e Cerimônias. A origem dos Símbolos, porém, causa muitas discussões, pois os franco-maçons da Antiguidade não deixaram informações precisas sobre as raízes da maior parte da simbologia adotada pela Maçonaria Simbólica. Muitos exemplos paralelos do uso de símbolos podem ser encontrados. É possível que a Franco-Maçonaria tenha sido influenciada por eles. Em virtude dessa polêmica, o Simbolismo Maçônico tornou-se um assunto de interesse para escritores que discorrem a respeito do passado da Ordem. Colin Dyer pesquisou e estudou uma grande quantidade de material, a fim de estabelecer as razões para a incorporação de um determinado simbolismo na Maçonaria, e apresenta o resultado nas páginas desta obra.

Título: O Livro do Mestre
Autor: Antenor Rodrigues Barbosa Junior

SINOPSE:

Abordando um tema aparentemente restrito do amplo domínio da filosofia, liturgia e ritualística maçônica, esta obra associa e procura demonstrar a influência dos inúmeros fatores de natureza histórico-social sobre a formatação das práticas maçônicas que, atravessando as brumas do tempo, chegaram até nós.

Título: Landmarques e Outros Problemas Maçônicos
Autor: Nicola Aslan

SINOPSE:

Leitura obrigatória para qualquer maçom. Como o próprio título já indica, o assunto tratado é de total interesse dos membros da Ordem para um melhor conhecimento de sua história e as controvérsias que a cercam.

1. Landmarks 2. Maçonaria 3. Estados Unidos da America 4.França 5. Inglaterra 6. Revolução Francesa 7. Bávaro 8. Que são na realidade os landmarques 9. Mackey 10. Albert Pike 11. O papel da maçonaria na Revolução Francesa 12. Política 13. Maçons 14. Gênese 15. Especulativa 16. Origem 17. Londres 18. Século XVIII 19. Tavernas 20. Loja 21. Regularidade Maçônica 22. Freemasons 23. Constituições 24. Anderson 25. Conde Moira 26. Etimologia 27. Mulher e a Maçonaria 28. Honourablr Msr Aldworth 29. Madame Xaintrailles 30. Loja de Adoção 31. Maçonaria e Feminismo 32. Maria Deraismes 33. Escocismo 34. Rito Moderno 35. Brasil 36. Jesuítas 37. Papa Pio IX Nove Igreja 38. História 39. Itália 40. Padre Barruel 41. Les Libres Penseurs du Peco 42. Escocismo versus Simbolismo 43. Papas Maçons

Título: Retórica
Autor: Aristóteles

SINOPSE:

Finalmente chega ao Brasil com texto integral Retórica de Aristóteles em primorosa tradução feita por Edson Bini direto do idioma grego traz notas e numeração de Immanuel Bekker. Esta é uma das mais influentes obras mundo afora nos universos filosóficos políticos e forenses. Para Aristóteles a retórica ou oratória é a arte do discurso que visa à persuasão. Este tratado aborda assim de maneira ao mesmo tempo instigante original e altamente instrucional um tema que permanece universal e atual do interesse indiscutível de todos nós: estudantes estudiosos e profissionais da linguística da ética da política do direito da psicologia intelectuais em geral e numa palavra profissionais de todas as áreas em que o discurso persuasivo se faz necessário. A Retórica por sua própria temática é uma das obras exotéricas de Aristóteles que se destaca pela leveza e maior acessibilidade de sua exposição distando dos tratados esotéricos que primam pela abstração das ciências especulativas na expressão do mestre do Liceu.

Título: Coleção Ditadura
Autor: Elio Gaspari

SINOPSE:

“O maior dos jornalistas brasileiros faz uma revelação a cada página. Historiador, ele vai do geral ao particular e torna presente o passado.” Mario Sergio Conti.

“Uma história escrita de dentro para fora, repleta de detalhes inesquecíveis.” Kenneth Maxwell

“Elio Gaspari faz história como quem escreve um romance. Os retratos que constrói ao longo do texto são memoráveis.”Thomas Skidmore

A mais aclamada obra sobre o regime militar no Brasil chega à conclusão com o livro A ditadura acabada . No quinto volume da Coleção Ditadura, o jornalista Elio Gaspari examina com riqueza de detalhes o período de 1978 a 1985, desde o final do governo do presidente Ernesto Geisel e a posse de seu sucessor, o general João Baptista Figueiredo, até a eleição de Tancredo Neves pelo Colégio Eleitoral. São os anos da abertura política, momento decisivo na história de nosso país e repleto de acontecimentos, como o fim do AI-5, as manifestações políticas pela anistia e pela volta das eleições diretas para a presidência, os atentados promovidos por aqueles que se opunham à redemocratização, como o episódio da bomba no Riocentro em 1981, e uma crise econômica sem precedentes.

Com uma narrativa fluida e pesquisa profunda, Elio Gaspari compõe um painel fascinante de um país em plena ebulição, em que muitos dos protagonistas se mantêm como parte do noticiário atual. No epílogo, denominado “500 vidas”, o autor acompanha o destino de quinhentos personagens que sobreviveram ao fim da ditadura, entre militares e militantes, empresários e sindicalistas, torturados e torturadores. Alguns desses sobreviventes chegaram à presidência da República, como a presa política Dilma Rousseff, o metalúrgico Luiz Inácio Lula da Silva e o professor Fernando Henrique Cardoso. É uma conclusão impactante para uma obra fundamental sobre a história recente do Brasil.

A ditadura acabada estará disponível em duas versões de e-book, uma delas com áudios e vídeos acrescentados pelo autor, ambas contendo mais de trinta documentos históricos.

A Coleção Ditadura, com seus cinco volumes, poderá ser encontrada também em um luxuoso box em versão impressa e digital.

Conclusão da Coleção Ditadura, que cobre todos os anos do regime militar em cinco volumes. É considerada a obra mais importante sobre o período e fundamental para a compreensão da história recente do país.

A ditadura acabada é livro inédito de Elio Gaspari, colunista dos jornais Folha de S.Paulo e O Globo, indiscutivelmente um dos jornalistas mais influentes do Brasil.

Pesquisa fundamentada por extensa documentação do arquivo do autor.

Epílogo arrebatador que acompanha a trajetória de quinhentos personagens que sobreviveram à ditadura.

Título: Ética a Nicômaco
Autor: Aristóteles

SINOPSE:

A Ética aristotélica continua sendo uma das bases fundamentais do pensamento humano com ela Aristóteles opera uma genial e sistemática reelaboração das pesquisas dos filósofos que o precederam particularmente de Sócrates e Platão distinguindo-se deles porém ao criar uma instituição moral completamente nova.

Título: Santo Agostinho
Autor: Gareth B. Matthews

SINOPSE:

Um novo olhar sobre a vida e s ideias de santo Agostinho, mostrando a atualidade e o pioneirismo de um dos mais importantes filósofos da Antiguidade, que foi – ao mesmo tempo – um homem de fé e um notável filósofo socrático. Santo Agostinho é amplamente reconhecido como um grande teólogo. Além de sua extensa produção religiosa, trouxe grande e valiosa contribuição à filosofia, principalmente por suas obras Contra os acadêmicos, Os solilóquios, Do mestre. Esse livro apresenta suas questões filosóficas mais caras – como ceticismo, dualismo mente-corpo, fé e razão, felicidade… “Matthews é uma das principais autoridades do mundo – talvez a maior – em santo Agostinho. Nesse livro, ele nos dá uma boa amostra do pensamento filosófico do autor: o confronto com o ceticismo, a preocupação com a natureza do tempo, a tentativa de dissipar as tensões entre a antevisão e o livre-arbítrio e de esclarecer o que é a mentira. Ninguém melhor para submeter este tema a uma análise sensível e agradável, ainda que crítica.” William Mann, Universidade de Vermont “… Esta é não só uma bela introdução às ideias filosóficas de Santo Agostinho, como também uma preciosidade para professores e pesquisadores.” Scott MacDonald, Universidade Cornell

Título: Maçonaria Dissecada
Autor: Samuel Prichard – Tradução: Xico Trolha

SINOPSE:

Nos trabalhos de resgate duma linha de tempo para as Tradições Maçônicas algumas publicações espúrias (publicadas a revelia das Instituições Maçônicas oficiais de cada época) críticas a Maçonaria ou não, mas, de conteúdo (ao menos parcialmente) validado passaram a ter alto valor juntos aos documentos conhecidos comoOld Charges (Antigos Deveres). Pode-se citar entre estas, obras como The Master-key to Masonry, The Three Distinct Knocks, Boaz and Jackin e a mais antiga e notória delas Masonry Dissected, ou “A Maçonaria Dissecada”.

Esta obra escrita por Samuel Prichard (um pretenso iniciado Maçom) na década de 1730 apresenta algumas críticas um tendo quanto rasas a Maçonaria enquanto instituição e corrente de pensamento, mas o conteúdo de real valor na obra ao estudioso Maçom são os textos catequéticos pertinentes a Maçonaria Simbólica daquela época.

O Ir.’. Henry Carr que foi Past Master e Secretário por muito tempo da Quatuor Coronati Lodge No. 2076, CE, que é conhecida como a primeira Loja de Pesquisas Maçônicas e autor do excelente livro (que possui tradução para a língua portuguesa) “O Ofício do Maçom” em suas palestras eventualmente abordava esta obra.

Título: Arquivos Secretos do Vaticano e a Franco-Maçonaria
Autor: Jose A. Ferrer Benimeli

SINOPSE:

Os estatutos e os rituais da Franco-Maçonaria medieval – que se enraíza na tradição das corporações dos pedreiros, construtores de catedrais – atestam seu espírito cristão e a vontade de admitir em sua classe os respeitosos artesãos da moral e dos dogmas da Igreja Católica Romana. Sendo assim, como tal instituição pôde merecer uma excomunhão fulminante por parte do papa Clemente XII? Em sua árdua pesquisa, feita nos Arquivos Secretos do Vaticano e de toda a Europa, o autor relata a extrema complexidade das relações entre a Igreja e a Maçonaria, e de que maneira suas teses abusivamente simplificadas sustentam a excessiva desconfiança e oposição do Catolicismo em relação a uma sociedade fraternal, cujos integrantes, na maior parte, jamais pensaram em conspirar para a ruína do trono e do altar.

DEZEMBRO

Título: A Divina Comédia
Autor: Dante Alighieri

COMENTÁRIO:

O que acontece após a morte? Essa inquietação acompanha o homem desde que ele começou a refletir sobre a própria existência. tão antiga quanto é a ideia de um submundo no além – um lugar de dor, ódio e medo. Há mais de 4 mil anos, os sumérios já falavam em um vasto abismo sob a Terra onde moravam os mortos. Os gregos descreveram um precipício tão profundo que uma alma poderia cair por mais de um ano sem que atingisse o fim. O Livro de Jó, escrito do Antigo Testamento que leva o nome de seu protagonista, vítima de uma aposta cruel entre Deus e o Diabo, fala do Sheol (túmulo, cova ou abismo, em hebraico), um lugar de purificação espiritual ou punição para os mortos. Na Bíblia, Jesus Cristo avisa seus discípulos sobre a Geena de Fogo, um depósito de lixo além dos muros de Jerusalém em que as chamas são mantidas sempre acesas com enxofre.

Ainda que bastante vivo no imaginário popular, até o século 14 o inferno havia sido abordado apenas em termos muito vagos. Em 1308, no entanto, um homem descreveu-o em detalhes. O autor da proeza foi Dante Alighieri, poeta italiano que fez uma viagem imaginária pelos três reinos do além-túmulo – inferno, purgatório e paraíso. Cada um desses mundos é descrito em um longo poema. Juntos, eles formam a Comédia, décadas depois renomeada pelo poeta e crítico literário italiano Giovanni Boccaccio como Divina Comédia. Embora os capítulos dedicados ao purgatório e ao paraíso contenham passagens de uma elaborada poesia – a obra inteira é composta por estrofes tríades (de três versos), em uma alusão à Santíssima Trindade -, são os primeiros 34 cantos, que narram a viagem dantesca por um lugar de sofrimento eterno, antro de pecado, desespero e punições, que compõem o maior legado do bardo italiano.

A obra começa com um encontro de Dante com três feras: o leão, o leopardo e a loba. Perdido em uma selva escura – interpretada pelos estudiosos da obra como uma representação simbólica da perdição no pecado -, Dante se reúne com um dos grandes poetas da Antiguidade, Virgílio (que viveu de 70 a 19 a.C.). Autor do épico A Eneida, Virgílio é quem convida Dante para realizar uma espécie de “itinerário da salvação”: “Convém fazeres nova viagem / Disse-me, então, ao ver-me soluçando / E escaparás deste lugar selvagem”. Frente aos portões do inferno, Dante e Virgílio dão de cara com uma mensagem não muito animadora: “Deixai toda esperança, ó vós que entrais”. Esperança era um conceito essencial na Idade Média – porque a vida, a não ser para a aristocracia, era brutal e curta. Para muitos, a esperança de vida eterna dava uma razão para enfrentar o sofrimento cotidiano. Mas a chegada ao inferno significava que ter esperança já não fazia mais sentido.

O HOMEM DECIDE

Dante não só criou a geografia física do submundo, mas também uma geografia moral: para cada pecado, um círculo específico. O primeiro e mais ameno é o limbo, onde ficam todas as almas sem batismo. Ali, a única punição é a eternidade sem a visão de Deus. É a partir do segundo, o círculo da luxúria, que se iniciam as punições mais severas. Conforme descem os nove círculos do inferno, distribuídos em uma estrutura cônica, os pecados se agravam. Virgílio e Dante ainda passam pelo lago de lama (gula), as colinas de rocha (ganância), o rio Estige (ira), o cemitério de fogo (heresia), o vale do Flegetonte (violência), o Malebolge (fraude) e o lago Cocite (traição) – este, o mais terrível dos pecados. Ou seja, a punição era pior conforme o tipo de crime. O conceito foi revolucionário. Num ambiente medieval onde tudo era atribuído ao poder divino, sobretudo o destino dos homens, Dante propôs a inversão da lógica: era o homem quem decidia seu futuro com suas ações. Se traísse, iria para o lago Cocite. Se não traísse, tinha uma chance de subir ao paraíso. Logo, a Divina Comédia é, antes de tudo, um livro sobre escolhas. A mudança pode parecer banal, mas é considerada o marco do início do Renascimento e do humanismo, quando Deus deixou o centro de tudo para dar espaço ao homem e suas escolhas.

“Por mim chega-se à cidade dolente / Por mim chega-se à eterna dor / (…) Deixai aqui toda esperança, vós que entrais.”

Pouco se sabe sobre Dante. Sua mãe morreu quando ele era muito jovem. Escreveu sobre política, filosofia, ciência e fez literatura. Mas Dante não foi apenas um escritor reconhecido: foi também um político bem-sucedido. Em 1300, elegeu-se como um dos seis magistrados que governariam a cidade italiana de Florença. Dois anos depois, contudo, sua carreira política terminou com um golpe. Quando estava fora da cidade, foi condenado a pagar uma multa gorda ao novo governo. Não pagou e foi novamente condenado: se colocasse os pés na cidade de novo, iria direto para a fogueira. Nunca mais voltou. A Comédia, por isso, também pode ser entendida como a história de uma vida – uma espécie de autobiografia na qual o autor precisou conhecer o inferno para encontrar o caminho da redenção.

A influência do poema na sociedade florentina foi tal que ele mudou o jeito de falar dos italianos. Era comum que os livros da época fossem escritos em latim – o que Dante fez em De Monarchia. A Comédia, contudo, foi lançada no dialeto fiorentino-toscano (também conhecido como volgare, o latim para vulgar). A língua de Florença se tornou a base para o que, mais tarde, se tornaria o idioma oficial da Itália.

Alexandre De Santi
Editado por: Bruno Garattoni
Fonte: Revista Superinteressante

NOVEMBRO

Título: Geometria Sagrada
Autor: Nigel Pennick

SINOPSE:

Das galáxias às moléculas, a geometria sagrada tem sido o esteio de quase todas as coisas edificadas pela mão do homem. Em todas as ocasiões de criação de uma forma geométrica qualquer, a geometria manifestou-se como unidade de expressão universal. E tal unidade, desde os primórdios dos tempos históricos, tem-se revelado nas construções religiosas.

A geometria sagrada é capaz de gerar em nós tanto o sentimento de reverência – sentimento esse que experimentamos diante de uma catedral gótica , quanto o da totalidade, vivido quando da execução de um canto gregoriano.

Partindo dos oráculos gravados nas pedras do período megalítico, até alcançar as volutas e os arabescos da art nouveau, o precioso volume que o leitor tem em mãos delineia a ascensão e a queda dessa arte transcendental, revelando-nos a maneira por que as construções, sempre que se encontram apoiadas em princípios atemporais, acabam por refletir a geometria cósmica.

OUTUBRO

Título: Os Pilares da Terra
Autor: Ken Follett

Capa do livro Os Pilares da Terra - Vol. Único

SINOPSE:

Ken Follett escolheu como tema do livro a construção de uma catedral gótica na Inglaterra do século XII. Impondo o seu ritmo ágil a uma história que recria uma época marcada pelo poder da Igreja e dos cavaleiros, e pela arquitetura como máxima expressão artística, Follett escreve um romance que segue, inclusive estruturalmente, o levantamento do chão de uma obra-prima de pedra e delicados ornamentos.

O fio condutor da primeira parte da narrativa é Tom, o construtor, e seus filhos Alfred, Martha e Jonathan. O contraponto mágico da existência de Tom, um homem que chefia outros num trabalho que pode levar 15 anos para ser totalmente concluído é Ellen, a feiticeira. O romance desenvolve personagens em outros dois planos: o eclesiástico e o da nobreza. No primeiro se defrontam Philip, prior de Kingsbridge, e o bispo Waleran. No segundo debatem-se William, o cavaleiro, e Aliena, a bela jovem que ousou desafiar seu desejo.

Ao final da primeira parte o eixo da narrativa se desloca para Jack, o enteado de Tom, filho de Ellen. Será ele, e não Alfred, o herdeiro dos talentos arquitetônicos de Tom. Conseguirá ele finalizar a construção da catedral?

SETEMBRO

Título: As Origens Históricas da Mística Maçônica
Autor: José Castellani

livro2

SINOPSE:

O Misticismo, de maneira geral e na Maçonaria, em particular, mostra íntima relação com a Metafísica, com a Mitologia, com a Teologia, com a Teosofia, com a Religião e com a Astrologia.

Este livro traz todos os elementos místicos e suas origens que contribuíram para a fundamentação da bases da Maçonaria Moderna. Através de uma leitura concisa das civilizações da Antiguidade, o autor nos apresenta os fundamentos místicos dos povos e culturas que influenciaram a formação das bases filosóficas da Maçonaria mundial.

AGOSTO

Título: O Livro de Enoch
Autor: desconhecido

51Hb+OElJEL._SY300_

SINOPSE:

O livro das origens da cabala. Este livro é colocado juntamente com o “Corpus Hermeticum” numa categoria muito especial das grandes obras da humanidade: é tomado ao mesmo tempo como meio e fim para a compreensão das coisas ocultas do mundo dos homens, dos anjos e da divindade. Em termos de Cabala hebraica este trabalho é fundamental pela apresentação dos nomes dos anjos e demônios e permitir assim uma leitura cifrada e altamente determinativa das origens dos homens. É uma obra de referência realmente indispensável para todo estudioso do oculto, ou do simples aficcionado do maravilhoso e fantástico.

Título: O Simbolismo da Maçonaria, Volumes I e II
Autor: Albert G. Mackey

51b5lqksCwL 91WebV-B1IL._SL1500_

SINOPSE:

A Maçonaria e seus antigos mistérios e simbolismos, sua trajetória na Idade Média, suas lojas e seus ritos, entre outros aspectos importantes, são expostos neste livro de forma sábia e bem embasada por Albert G. Mackey, uma das mais respeitadas autoridades da Maçonaria de todos os tempos. Com o objetivo de alcançar tanto as pessoas já familiarizadas com a Maçonaria quanto as que desejam iniciar em seus estudos, Albert G. Mackey presenteou o leitor com a sabedoria de suas análises e investigações a respeito dos aspectos mais importantes da instituição por meio da obra The Symbolism of Freemasonry, cujo conteúdo revela os mais diversos e surpreendentes mistérios maçônicos. A face secreta das lendas mais ocultas são trazidos à tona e os quase inatingíveis simbolismos são desvendados.

JULHO

Título: O Caibalion: Estudo da Filosofia Hermética do Antigo Egito e da Grécia
Autor: Três Iniciados

SINOPSE:

Entre os fragmentos de conhecimentos ocultos possuídos pelo mundo contam-se os Preceitos Herméticos, reunidos neste livro e atribuídos ao imortal Instrutor egípcio conhecido entre os gregos como Hermes Trismegisto, o “Três Vezes Grande”. Considerado em seu tempo o Mensageiro dos Deuses, ele viveu sob os prósperos signos das dinastias divinas, imprimiu o indelével selo da vida espiritual em seu grande povo, e implantou a oculta tradição sagrada, os santos rituais, os gloriosos mistérios e, segundo os gregos, nos legou o tesouro de 42 Livros Sagrados, entre os quais se inclui o famoso Livro dos Mortos, originalmente intitulado o Livro da Saída da Luz. Fundou também as Escolas de Sabedoria anexas aos Santuários Maiores, onde se ensinavam medicina, astronomia, astrologia, botânica, agricultura, geologia, ciências naturais, matemáticas, música, arquitetura, escultura, pintura e ciência política. A Ciência hoje chamada Hermética permanece ainda viva, e este livro reúne, para reflexão dos estudiosos, alguns dos seus preceitos fundamentais, cuja consistência tem sido comprovada através dos séculos.

Título: O Testamento de Noé
Autor: Paul Poësson

SINOPSE:

O dilúvio universal deixou traços na expressão simbólica de diversas civilizações. desde a polinésia à europeia, desde a egípcia à inca. Vários documentos arqueológicos chamam-nos a atenção para o mistério da inclinação do eixo de rotação terrestre. Terá este eixo sido cientificamente manipulado para que o dilúvio se derramasse sobre uma humanidade excessivamente numerosa?

Paul Poësson procurou investigar e justificar este enigma, que chega a ser considerado como uma mensagem de natureza apocalíptica. Por isso, O Testamento de Noé é um livro que se reveste de flagrante atualidade.

6 respostas para Biblioteca

  1. Pingback: O Caibalion e sua história | O Ponto Dentro do Círculo

  2. Leandro Cunha disse:

    Boa tarde, gostaria de saber onde eu posso adquirir esses livros . Meu muito obrigado.

    Curtir

  3. Pingback: A Arte de Palavrear | O Ponto Dentro do Círculo

  4. Edson Soares da Silva .'. disse:

    Parabéns Pod.’. Ir.’. Luiz Marcelo!
    Ótimo trabalho.
    Excelentes livros recomendados.

    Curtir

  5. Gracias todos son muy excelentes libros, estaré atento para tratar de adquirir alguno de ellos,en nuestra ciudad.Gracias reciban un T.A.F.Desde Tepic Nayarit México.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s